O contexto

Promovemos o direito à saúde apoiando as estruturas públicas e numa ótica de saúde global, atuamos de modo integrado com outros setores de intervenção relacionados: alimentos, água, educação, direitos e ajudas humanitárias.

Nas áreas mais pobres, as intervenções sanitárias integram a luta contra a má nutrição das crianças e das suas mães. De facto, em 2019 realizamos rastreio a 144 505 crianças e seguimos os casos mais graves. Para garantir o acesso aos cuidados e uma melhor qualidade dos serviços oferecidos, criamos ou reforçamos 141 centros de saúde públicos para mais de 136 000 pessoas, equipando-os de instrumentos e gerindo-os.

  • 195 mil prestações sanitárias fornecidas
  • 8 mil atividades de prevenção
  • 445 mil pessoas beneficiadas

Uma promoção da saúde eficaz é feita pelos agentes de saúde, médicos e voluntários que prestam serviço nas comunidades. Por isso, em 2019 organizamos 426 cursos de atualização, envolvendo quase 6 000 pessoas. Através de campanhas mais amplas de saúde pública, nutrição e higiene, saúde materna e reprodutora, prevenção de HIV, ébola e malária, sensibilizamos quase 122 500 pessoas, reduzindo o risco de contrair as doenças.