WeWorld
 

Operamosno Nepal

BIJAI TEM UM GRANDE SONHO

BIJAYBijay tem apenas 4 anos e ainda não esqueceu o momento em que a terra tremeu e destruiu a casa dele, deixando ele e a família sem nada. Logo após o desastre, o acampamento que a WeWorld montou, virou para ele, como pra muitas outras famílias, um refúgio seguro.

Estava muito assustado, não comia e não queria mais dormir com medo dos pesadelos.

Agora Bijay voltou a sorrir, começou a construção da nova casa e em breve terá também uma nova escola! Bijay logo poderá voltar a vida de sempre.”

Marta, operadora WeWorld no Nepal.

 

A situação no Nepal

O Nepal é um dos 50 Países menos desenvolvidos do mundo, colocando-se na 145ª posição entre 188 países, quanto ao Índice de Desenvolvimento Humano, e estima-se que 42% da população viva abaixo da linha de pobreza nacional: 50 Centavos por dia.

Além disso é  um País com um território muito difícil: 60% não é habitável e só 17% da superfície pode ser cultivada. 93% da população vive da agricultura de subsistência e o conflito armado, que por mais de 10 anos abalou o País, teve graves repercussões econômicas e sociais. A capacidade produtiva do Nepal ficou gravemente comprometida, com infraestruturas públicas e privadas destruídas, constrangendo muitas famílias a deixar as suas próprias comunidades.

Com o terremoto de 25 de abril de 2015 a situação já dramática ficou ainda pior. Foram 9000 vítimas que este terremoto devastador levou consigo e mais de um milhão de pessoas ficaram sem casas e vivem em alojamentos temporários e precários, não preparados para as estações das chuvas e do inverno. A maioria das crianças ficou sem escola, porquê os prédios caíram.

 

Como intervimos

No Nepal, após o terremoto, tivemos que rever nossos objetivos de cooperação. Os vilarejos onde trabalhamos há anos foram fortemente danificados e tivemos que responder logo à emergência e depois à reconstrução.

A nossa estratégia baseia-se nos nossos pontos de força: o conhecimento de algumas das áreas mais danificadas pelo terremoto (Sindupalchock, Kavre e Kathmandu) e a nossa experiência com as crianças e as mulheres. A nossa prioridade foi a de responder as necessidades primárias das populações nas áreas onde já trabalhamos através da distribuição de bens de primeira necessidade e, ao mesmo tempo, não perdermos o nosso foco: continuar com as ajudas para as crianças.

Nas crises humanitárias é importante garantir um espaço protegido para as crianças, onde possam se sentir seguras e retomar um estilo de vida perto da normalidade, que as ajude a superar os traumas.

Por isso construímos 60 TLC (escolas provisórias), 6 escolas semipermanentes e 30 sanitários. Distribuímos 2 bombas d’água, 21 cisternas para água potável, 3696 canos flexíveis em pvc. Distribuímos material didático para 53 escolas e dois Child Development CentresFormamos 206 professores para o suporte psicológico pós traumático e organizamos encontros de suporte para 46 comunidades gravemente danificadas.

Nessa fase de reconstrução, depois de um ano do terremoto, nos empenhamos com os parceiros locais e com as comunidades, em começar um processo de retomada e esperança, através da participação ativa de toda a comunidade. Estamos trabalhando na construção de 20 escolas, entre creches e escolas de ensino fundamental, com relativos serviços higiênicos além de intervenções de higiene e utilização da água, para permitir que as crianças voltem a estudar em lugares adequados para crianças e que as mães voltem a trabalhar sabendo que os filhos estão em lugares seguros e protegidos. 10 dessas escolas ficam numa localidade de montanha, Milche, onde não se pode chegar com transportes mas apenas com duas/três horas de caminhada.

NO NEPAL AINDA É EMERGÊNCIA, AJUDE-NOS!